terça-feira, 19 de março de 2013

Gráficos do Dia - EUA, capota mas não breca

Gráficos interessantes da apresentação do diretor do BC Luis Awazu Pereira da Silva na reunião do BID da semana passada, na Cidade do Panamá. Não tinha me dado conta, mas parece claro que o setor privado dos EUA voltou a se alavancar, enquanto a maior parte do restante do mundo desenvolvido segue reduzindo balanços.

Clique para aumentar

16 comentários:

Anônimo disse...

Voltaram a se endividar por que as taxas de juros estão muito baixas, não se tem pressão inflacionária e a confiança aos poucos está retornando. Uma dúvida que tenho é se os contratos de empréstimos nos EUA tem algum indexador?

Drunkeynesian disse...

Até onde sei a maioria dos empréstimos é com taxa fixa.

Anônimo disse...

Obrigado. Mais uma razão para a retomada do endividamento.

Joao Menezes disse...

Até quando o mundo vai assistir sentado à essa loucura? Tudo bem que eles tem o domínio militar e bla bla bla.. mas acho que o bom senso caberia aqui.. se alguém se invocar de vez pode haver uma catástrofe nuclear e tem muito país intolerante que seria capaz de fazer isso. É foda!

Joao Menezes disse...

aproveitando a deixa.. parabéns pelo seu blog e pelas análises.. de altíssima qualidade. Abraço!

Anônimo disse...

Caraca, que imbecilóide mental. "catástrofe nuclear" ???

Jorge Browne disse...

O indicador Housing Starts para a construção de novas casas nos EUA aumentou 0,8% no mês e chega a 917 mil novas unidades. Após uma baita queda de 2006 a 2008 os dados mostram reversão consistente desde o início de 2009. É cedo para dizer que estão melhorando, mas parece que o processo de deterioração estancou de vez. Já a Europa...

paulo araújo disse...

Vi os gráficos e lembrei da entrevista do Stanley Fischer para a GloboNews que você recomendou em post anterior.

Fischer falou em escolher entre um mal menor e entre um bem maior (Spinoza, lembra?): "se formos forçados a escolher entre uma economia americana saudável com uma taxa de câmbio problemática para nós [israelenses] ou uma economia americana insalubre com taxa de câmbio conveniente para nós, eu prefiro, pelo nosso país e pelo mundo todo, uma economia americana com crescimento veloz. Essa pode ser a escolha ou não, mas, às vezes, acredito que seja a melhor escolha. Prefiro lidar com uma taxa de câmbio fora do padrão se eu souber que isso está sendo causado porque os EUA estão voltando a crescer".

Antes, ele havia dito que a injeção monetária no pós 2008 na economia americana foi "um passo corajoso e radical".

Também gostei desta parte: "Isso foi porque Bernanke estudou história". :)

Até o momento, tudo indica que o Armagedon anunciado à esquerda e à direita era fumaça.

Abs.



Anônimo disse...

João, você não entende nada de economia, e é retardado.

Anônimo disse...

O que me deixa cabreiro é ele achar as análises ótimas...

Anônimo disse...

Vendo isoladamente isso pode ser ruim, mas olhe o crescimento da produtividade, da produção industrial e a manutenção de baixas taxas de juros cobradas pelo mercado. Não me parece ser um problema para as empresas isso na medida em que o lucro de muitas estão crescendo nos Estados Unidos. O pior problema deles, é o alto nível de desemprego e baixo crescimento da renda, que aí sim torna o crescimento econômico insustentável.
Como ensinou o mestre, se estão se endividando para investir é porque estão com boas expectativas quanto a sua valorização marginal do capital (lucro acima da taxa de juros), resta saber em que sentido está indo esse endividamento.

Floripa Trader

Joao Menezes disse...

No último comentário voce resolveu se auto-entitular Floripa Trader.. haha.. genial.. parabéns.. continue assim.. pelo menos eu do a cara a bater, diferente de alguns Traders. O que eu falei pode ser extremista, mas com certeza é um pensamento que ronda algumas cabeças loucas aí e eu só pontuei pra dar uma animada nesse debate.

Anônimo disse...

Não fala besteira João, se eu tivesse te xingado ia ser pra caçar teu diploma de economista que tirou comigo haha, mas em partes mereceu, pareceu jornalista do Irã falando de economia.

Floripa Trader

Joao Menezes disse...

Drunkeynesian, peço por favor que exclua os comentários do Anônimo que me insultou. Já conversei com o Floripa Trader e não foi ele. Acho que um debate tem que ser respeitoso em primeiro lugar, depois se analisam os argumentos.

Abraço,

Anônimo disse...

Que fauna tá perambulando por aqui, hein...

Anônimo disse...

Está mais pra flora...