quarta-feira, 10 de julho de 2013

Um debate importante

Intelectual público é pra isso: na última sexta-feira, André Lara Resende publicou, no Valor, esse "O mal-estar contemporâneo", onde tenta achar um fio que une o povo nas ruas aos problemas econômicos do país (na minha modesta opinião, vai melhor na descrição da conjuntura do que na tentativa de ligá-la a um tema de fundo maior, do consumismo e esgotamento de recursos do planeta). Samuel Pessôa explicitou suas divergências, bem como o cientista político Fábio Wanderley Reis. Fernando Dantas fez um bom resumo da polêmica e colocou algumas opiniões suas. Mansueto Almeida comentou a discordância Lara Resende x Pessôa e rebateu, com números, a tese do "estado cujo principal objetivo é financiar a si mesmo".

Na FLIP, no final de semana, Lara Resende participou de um debate com Marcos Nobre (esta é a primeira de cinco partes, o YouTube tem os links para as demais):


Como disse o Fernando Dantas, "pelo menos para uma boa coisa serviram as manifestações de rua que tomaram conta do Brasil em junho: estimular o debate." De fato, há muito tempo eu não via tanta gente interessante vindo a público para tentar buscar diagnósticos e saídas para o país. Seria ótimo se esse clima se estendesse até o ano das eleições e se alguém mais identificado com o governo entrasse na roda.

O link (literal) perdido dessa história, até agora, é o texto de Marcos Lisboa e Zeina Latif que alguns mencionaram. Parece que circulou para comentários e deve aparecer em breve; se alguém tiver uma versão preliminar, agradeço se puder indicar nos comentários.

Update (12/julho): apareceu o tal texto.

20 comentários:

Victor Pacheco disse...

Também estou procurando o texto do Liboa e da Zeina. Se achar compartilho.

Luciano Costa disse...

Caro drunkeynesian,
Gostaria que vc lesse esse meu post, que fala sobre a “contabilidade criativa” do Tesouro para bancar a redução da conta de luz. Já queimaram quase 20% das receitas de Itaipu até 2023 e, ainda assim, é provável que a tarifa já suba novamente para o mesmo nível de 2012 no próximo ano. O negócio está tomando proporções assustadoras…

http://www.analiseenergia.blogspot.com.br/

abs!

Fat Tony disse...

Provavelmente a única consequência positiva dos protestos será o retorno de intelectuais ao debate político, já estava na hora de assumirem o dever cívico que tem, em oposição à cultura de auto-promoção e puxa-saquismo do mundo acadêmico

Anônimo disse...

Esperava mais do debate, principalmente do André Lara.

O post do Luciano Costa "Contabilidade criativa: a bola de neve bancada pelo Tesouro para reduzir as contas de energia" com link no comentário é impressionante.

"A estimativa do Tesouro é de que esses créditos da União junto à usina binacional sejam de cerca de US$15 bilhões – sendo que normalmente o Tesouro recebia R$4 bilhões por ano. Esses créditos, agora, têm sido vendidos ao BNDES para capitalizar a Conta de Desenvolvimento Energético (CDE), um fundo setorial que fará os aportes no setor elétrico para garantir as tarifas reduzidas" [...]

Somado tudo isso [ler o post para entender o "tudo isso'], a CDE, que ficou responsável por fazer os repasses que garantem a baixa tarifa, JÁ GASTOU R$9,2 bilhões até julho deste ano. Foram R$2,9 bi em “subsídios tarifários”, R$322,1 milhões para garantir uma “redução tarifária equilibrada” e quase R$5,9 bilhões para custear o despacho de termelétricas e a exposição de distribuidoras ao mercado spot.

O último post (hidrelétricas travadas - o paradoxo ambiental da EPE) vai deixar André Lara de cabelo em pé: "O paradoxo ambiental está aí. Licenciamento travado, falta de projetos hidrelétricos, expansão das termelétricas, poluição, custo maior."

O blog foi para o meu favoritos. Fonte de informação e análise do setor elétrico. Desconheço se há outros blogs tratando do assunto.

paulo araujo disse...

O anônimo 09:14 sou eu.

Frank disse...

a propósito do tema, o artigo do Fernando Dantas está excelente.

blogs.estadao.com.br/fernando-dantas/2013/07/08/qual-e-o-problema-do-estado-brasileiro/

ele consegue de modo claro separar 2 problemas distintos - embora relacionados.

- o caráter parasitário e sobreremunerado de uma certa casta da burocracia pública + as ineficiências nos estratos meso ou subremunerados (os barnabés propriamente ditos)
- o espírito de "meia-entrada" dos grupos de interesse (dos pequenos aos grandes) q perpassa o Estado (e influencia negativamente a alocação de recursos).

para o 1o ponto, dá pra pensar em resolver.

o 2o é mais complicado - talvez insolúvel -, mas, certamente, "melhorável" (vide nossos correlatos culturais latino-católicos no sul da Europa)

André Egg disse...

Não sei se as análises econômicas do Lara Resende são pertinentes. Mas a análise política que ele faz do governo do PT é muito fraca. Aliás, acho interessante como tem tanta gente considerada inteligente que é capaz de destruir completamente sua credibilidade só para sustentar teses pré concebidas sobre a maldade intrínseca do PT e de seus governos.

Como o Drunkeynesian costuma dizer muito bem aqui, sua profissão o obriga a ter como prioridade acertar nos investimentos, e não precisar ficar sempre provando suas teses (ainda mais quando dão prejuízo). Legal se alguns analistas precisassem desse tipo de compromisso intelectual com a realidade cotidiana.

Anônimo disse...

"teses pré concebidas sobre a maldade intrínseca do PT e de seus governos"
Não é maldade não! É ruindade mesmo. Junto com idéias velhas e um cubanismo entranhado na alma.

Anônimo disse...

A supermaioria do FHC foi utilizada para realizar as reformas modernizantes. Já a supermaioria do Lula foi para evitar o chilindró e o fim do petismo. Até então a Dilma ignorava a necessidade de uma supermaioria, pois tem o BNDES/BB e BC para fazer seu grande plano de voltar aos anos 70.
Dantas

Victor Pacheco disse...

Fechei como anônimo.

Anônimo disse...

Brilhante Dantas

Voltamos aos anos 70!! O medo seria aparecer uma nova crise como a do petroleo e nos encontrarmos de novo numa posicao desfavoravel!!

Temos vizinhos indo bem (Chile, Peru) e insistimos em seguir o caminho da Argentina, Bolivia, etc.

Andre Egg, os petistas nao topam o ALR e vice-versa. Leia os artigos do 'nosso Mantega' sobre o plano Real. Se voce acha o ALR ruim falando do PT, voce vai se surpreender!!

Roni

Delfim Bisnetto disse...

Obrigado pela coletânea!

WIlson Felicio disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

drunk o link do Marcos Lisboa não está funcionado?

Drunkeynesian disse...

Acabei de testar aqui e funcionou...

rodrigo disse...

http://oglobo.globo.com/opiniao/o-gigante-fala-dormindo-8934511

acima segue atalho referente ao que ocorre; o restante é papo absolutamente furado.

Anônimo disse...

FHC? Ainda tem alguém que defenda? ai ai... O homem que baixou as calças pro FMI? O campeão do desemprego e dos juros? O intelectual dos aposentados vagabundos? Isso me dá um sono...

Geraldo disse...

Segue o link pro texto Lisboa/Latif. Abraço de lurker! https://docs.google.com/file/d/0B8yOsNFcxSV5M2Q5VWJsc0FYaFk/edit?pli=1

Anônimo disse...

FHC não foi grande coisa mesmo não, até o PT chegar e mostrar o quão felizes éramos e qual caminho perdemos , por vacilo tão imbecil travestido em um apedeuta que se queria demiurgo.
Jabor conhce bem esses tipinhos adestrados para falar mal de quem pavimenta os caminhos. E vai na veia:
http://www.estadao.com.br/noticias/impresso,a-insustentavel--heranca-maldita--,1053948,0.htm

Anônimo disse...

O mais dificil de ter um blog inteligente deve ser respirar fundo e ignorar os trolls...