quarta-feira, 3 de julho de 2013

As consequências econômicas do sr. Batista

O crepúsculo do macho
Ao que parece, o mercado está acelerando a precificação de um calote das empresas do grupo EBX (já há relatórios com preço-alvo de R$0.10 para as ações da OGX - aparentemente eu estava muito errado). Abaixo uma lista, sem a menor pretensão de ser exaustiva, das consequências disso para os mercados e a economia (usem os comentários pra lembrar do que esqueci ou omiti).

1. Ibovespa - é a vítima mais direta, com sua metodologia de cálculo por "negociabilidade" que faz com que a OGX (valor de mercado atual: R$1.5 bilhões) até poucos dias atrás tivesse peso maior do que a Ambev (valor de mercado: R$255 bilhões) - já tinha observado isso aqui. Entre os rebalanceamentos trimestrais, ações que caem muito de preço vão perdendo peso, mas este é recuperado caso o papel continue com giro alto. A Bovespa excluiria papeis de empresas que entrassem em falência ou recuperação judicial, mas, antes disso, não sei o que seria necessário para que considerassem as empresas "X" como caso especial. A situação atual já é bizarra o bastante, e pode piorar se, por algum motivo, os preços de OGX se recuperarem e o peso dos papeis no índice aumentar (porém, nada que não tenha acontecido no passado com os recibos de Telebras, por exemplo).

A convicção do mercado na derrocada do império X é enorme. 35% do free float de OGXP3 está alugado. As taxas anualizadas para aluguel de OGXP3, CCXC3 e MMXM3 estão em, respectivamente, 60%, 52% e 31%. Aqui, creio, o perigo está na ponta oposta, para os cotistas de fundos long/short e equity hedge que estão vendidos a descoberto nesses papeis. Uma notícia de aquisição ou reestruturação bem vista pelo mercado pode catalisar um grande short squeeze. Não parece ser o cenário-base de ninguém, de qualquer maneira.

2. Petrobras - o fracasso da operação da OGX faz com que o mercado aumente a probabilidade de que tal fracasso se repita na exploração da Petrobras. Acredito também que haja algum temor de intervenção estatal que faça a Petrobras adquirir a OGX e comprometer ainda mais seu balanço. PETR4 fechou ontem no menor nível desde 2005, quando o barril de petróleo custava pouco mais de US$60 e a produção diária era quase 20% menor. Por outro lado, desde então a dívida total da companhia quase dobrou - é esse o tamanho da aposta no pré-sal.

3. Bancos - o BofA/ML calculou a exposição de alguns bancos à dívida das companhias. A tabela abaixo é do relatório (clique para aumentar):


Os analistas fazem questão de deixar claro que esses números são parciais, já que não incluem a dívida da holding (EBX). Eles reconhecem que os cálculos de jornais, que colocam a exposição em até R$5 bilhões nos grandes bancos, podem estar corretos (mais na Bloomberg).

Não é surpresa verificar que a maior exposição está nos bancos estatais, que tanto têm se esforçado para criar "campeões nacionais", com critérios esquisitos. Aqui começa o risco de contágio para as contas públicas, que talvez já esteja afetando o mercado de juros locais.

4. Crédito - aqui é difícil separar o impacto dos problemas no grupo X com a deterioração geral da percepção do Brasil nos mercados. Abaixo, só para ilustrar, o descolamento dos prêmios dos CDS de 5 anos de Brasil e México, que em novembro do ano passado andavam no mesmo patamar.


5. Fluxos estrangeiros, investimentos, crescimento - já escrevi aqui que o grupo EBX era o arquétipo do Brasil de alguns anos atrás, a aposta mais alavancada no capitalismo de estado (ou de compadrio) baseado na exploração de commodities. Esse modelo está ruindo espetacularmente, e, julgando pelo desempenho da economia no último par de anos, não apareceu nenhum outro para substituí-lo.

Se confirmada a derrocada do império de Eike e os credores ficarem em má situação (quer dizer, pior do que já estão), aumenta o risco de uma parada súbita de financiamento para o país e as perspectivas de crescimento ficam ainda piores. O modelo dos últimos anos só vai ser enterrado definitivamente com uma desvalorização ainda mais aguda do câmbio e o reconhecimento, na dívida líquida, do custo fiscal do financiamento equivocado das "campeãs nacionais". Achei que isso pudesse ser adiado para depois das eleições do ano que vem; aparentemente o mercado está naqueles momentos de apressar o encontro com a realidade.

6. Ontem a Lúcia Guimarães lançou, no Twitter, a seguinte provocação:
Acho que não há muitos inocentes aqui (a não ser, talvez, os minoritários, que se deixaram levar pelo hype). A ANP sabia da dificuldade da operação, e deveria ter endurecido os critérios para concessão das áreas de exploração. Os banqueiros sabiam que estavam vendendo um investimento de risco precificado como uma cash cow - e o mercado pagou, na época sorridente, por esse preço. A mídia amplificou o barulho, na sede de achar um ícone para a "história de sucesso" do país. O tempo da euforia acabou, agora é vez de exercitarmos novamente o ceticismo. A maioria acreditou no grupo X porque quis, isso faz parte da natureza humana. Sair caçando bruxas pode ser necessário, mas não vai levar a alguma grande conclusão. Os tempos criam ilusões e ilusionistas; se não fosse Eike, seria outro, acredito. Hora de virar a página e ver o que dá pra fazer com o que sobrou.

28 comentários:

Anônimo disse...

Inocente é o minoritário?!... esse participou da festa... Inocente sou eu que não ganhei nada com isso e vou participar da suruba cedendo minha bunda, via BNDES, Caixa ou alguma malandragem que vão inventar pra safar o din din dos companheiros!

Drunkeynesian disse...

Bem lembrado - tinha esquecido da Viúva e de seus filhos, contribuintes.

paulo araujo disse...

Caro

Adorei o post, que é cristalino. Mesmo passando batido pelos "free float", "long/short", "equity hedge" e "short squeeze" (não faço a mínima ideia do sejam), a leitura flui e eu consegui entender o que você pretendeu mostrar.

Por que leio certos blogs de economia? Acho que pelo menos por estes dois motivos: 1. São infinitamente melhores do que o jornalismo de economia. 2. Contribuem fortemente para a manutenção de minha saúde mental porque, para mim, agem como terapeutas que nos ajudam a racionalizar as coisas da vida, e sofrer menos com elas.

Grato





Carlos Munhoz disse...

Eis aqui uma entrevista do Eike ao Manhattan Connection de 2012 - e o Diogo Mainardi detonou o Eike: http://ow.ly/mCTBY

JGould disse...

Não tem como na relacionar essa capa da Veja, com aquela do Cristo do "Brazil takes-off".

Anônimo disse...

Mas e os relatórios mentirosos da OGX dizendo que os poços eram comercializáveis? Isso deveria dar cadeia, é estelionato, crime contra a economia popular etc.

Jorge Browne disse...

Pode ser até crime contra a economia, mas de popular não tem nada...
Quem entende do negócio já sabia que havia algo
estranho.

Unknown disse...

Não. Minoritário é inocente sim. Tenho amigos que perderam RS 40k porque compraram na máxima. E carregaram até hoje.

Anônimo disse...

DK,
acho que as operações com o BNDES possuem fiança bancária; ou seja, embora tenha dado os subsídios, a viúva não ficou com o risco dos projetos.
Abs

Jorge Browne disse...

Tá na hora de alguém avisar os inocentes que o lugar deles não é a Bolsa. O que seria muito ruim para os pros hehe...

Anônimo disse...

"BNDES, in its written response to Bloomberg’s request, declined to say how much of the loans were disbursed and repaid, citing bank secrecy laws that prohibit the disclosure of such information. BNDES didn’t specify what personal assets Batista used to guarantee debts with the bank. A spokesman for BNDES in Rio contacted after business hours declined to comment further."
O BNDES não é obrigado por lei (de acesso a informação) a divulgar os números?!?

Drunkeynesian disse...

Boa pergunta, não sei.

Jorge Browne disse...

"O BNDES não é obrigado por lei (de acesso a informação) a divulgar os números?!?"

Não todos. Participei de um debate sobre a Lei 12.527. Há dúvidas, mas o consenso é que dados fiscais, bancários ou comerciais privados estão protegidos pelo sigilo garantido por outras leis. Faz sentido.

Entretanto, no caso particular do BNDES a coisa complica.

Ticão disse...

A Lúcia Guimarães apontou, em seu Twitter, 3 personagens como participantes responsáveis pela criação do mito.
Eu acrescentaria um quarto. O pessoal do mercado. Os responsáveis por investigar e avaliar as empresas antes de recomendar a compra das ações.
Será que esse pessoal deixou de fazer o "dever de casa" e está se deixando levar só pelo marketing, pelo ilusionismo, feito uma manada de fãs do Justin Bieber?
Ou o que interessa é só a comissão, mesmo da venda de uma porcaria qualquer?
Eles só recomendaram ou também compraram para seu próprio portfólio?
Antes bastava ser. Depois além de ser precisava parecer. Agora basta só parecer, nem precisa mais ser.
É o marketing e todos os seus filhotes moldando a sociedade.
E você, já contratou um consultor de imagem? Não? Cuidado, vai ser ultrapassado pelo seu vizinho.

Anônimo disse...

É muito simplismo crer que os analistas sabiam que o império X era uma bomba, que os analistas que mandaram comprar ogx a 20 devem ser presos... Numa alta histórica como ocorreu com as commodities, cheia de fundamentos (1 bi de chineses blá-blá-blá...) saber o ponto em que tudo virou fumaça é duro. Empresas que lidam com isso há 100 anos ficaram fora no início do trend e depois saíram comprando nos highs, muita coisa virou mico em muitas empresas alemãs e americanas. nos eua rolou uma falência parecida numa empresa que expolorava águas profundas no golfo do méxico. A solução de colocar um regulador, tipo deus, que impedira de tomarmos pica e ficarmos com cara de otário, mas que deixará que entremos nas boas não existe. Eu acho que o aleatório que deixou um rico deixa outros 3 sem grana, sendo que os 4 fizeram o mesmo. Já um país entrar nessa é outro papo! Dinheiro do contribuinte em país classe mérdia desigual é sagrado e deveriamos sim saber o motivo de estarmos especulando no pré-sal e dando moleza para os empresários amigos. Não podemos misturar. Ah! Esqueci de dizer que as opiniões dos analistas do sell-side são sempre viesadas. Da mesma maneira que o cara da loja indica uma geladeira e não outra!
Dantas

Anônimo disse...

Montar um esquema de piramide financeira é crime, mas os incautos que foram lesados não são inocentes, são burros. Alguns realmente se deram bem nessa jogada.

O governo financiar o criador do esquema, colocar suas agências reguladoras de correntes certificando que o esquema é sustentável e possivelmente fazer o bail-out de capital privado amigo que também foi na onda, usando recursos de contribuintes ou fundos de pensão, com a desculpa que é pelo "bem maior da nação" é que é o cumulo.

iconoclastas disse...

"Mas e os relatórios mentirosos da OGX dizendo que os poços eram comercializáveis? Isso deveria dar cadeia, é estelionato, crime contra a economia popular etc."

um chute. acho que não eram mentirosos, mas iludidos. além da maioria dos analistas de sell-side comprar a idéia, vários bem- sucedidos analistas de buy-side tb apostavam. os estudos da D&M apontavam para números promissores nas reservas da OGX. sem falar que o time de executivos atraído para os projetos era de primeira. a minha impressão ainda é de q a fanfarronice do Eike era mais deslumbramento do que pilantragem. ah, sim, há algum tempo eu tb tomei um sacode. a cia do paquita e do itaú me confortam um pouco...

Anônimo disse...

mas uma empresa em estágio pré-operacional não poderia, a meu ver, fazer uma declaração dessa importância como um mero chute. Essa era a informação mais importante da história da empresa até então, que levou muitos a comprar ou vender os papéis da empresa. Isso deveria, sim, dar cadeia.

iconoclastas disse...


o chute é meu, quanto a serem iludidos e não mentirosos.

o fato é que os relatórios eram baseados em estudos, entre outros, da D&M. um indicativo da fé que Eike e executivos tinham no negócio é a briga dele com o Landim.

Anônimo disse...

Este tipo de informação vem com 427 páginas de disclaimers! Quem comprou deveria ter lido tudo, onde sempre consta que são projeções baseadas em blá-blá-blá, com risco de blá-blá-blá-blá! Quem comprou ogx não queria 7,5% ao ano e sim dar porrada. Simples assim! Não foi crime contra o sistema financeiro e sim burrice do sistema financeiro! Não foi o "sistema roubando o poupador". O Itaú tem dinheiro lá! O Eike ainda tem lote de dinheiro lá! Ele não vendeu e foi passear.
Dantas

Leonardo disse...

Parabéns pelo post e pelos links Drunk, um dos melhores do ano.

Leonardo disse...

Da mesma forma que você ligou a questão do mau desempenho da empresa com o crescimento, financiamento e endividamento do país, escrevi um texto esses dias sobre o uso a Petro como instrumento de política economica e todas as consequencias que estamos colhendo agora. Acho que da pra fazer uma análise muito legal que mostra muito do que ta acontecendo na economia nacional como um todo. Abraço.

rodrigo disse...

Há alguns anos, provavelmente em 2009, quando alguém da equipe do Eike chamava a atenção para algo que é de conhecimento dos sensatos há séculos - que o negócio de exploração é cheio de riscos e incertezas - ouvia do chefe estrondosa chacota "seu calça curta! Bermudão!!! ". Anos depois o resultado de tanto otimismo pegou seus miniritários efetivamente de calças curtas, mas agora em outro sentido.


https://conteudoclippingmp.planejamento.gov.br/cadastros/noticias/2013/7/3/como-atuava-o-dream-team-de-eike-na-ogx

Anônimo disse...

Outro post muito bom! Esclarecedor sobre a real situação da economia brasileira. Mas a queda da X é fichinha perto da petrobras... Como minoritário da petro vou esperar mais 50 anos para um FHC recuperar a empresa... Se viver até lá... Para terminar, participei de uma palestra uma vez onde um professor de Direito falava maravilhas do pré-sal e eu argumentei que não era bem assim...Olhem no que deu... Só me resta pagar as minhas dívida enquanto tenho dinheiro...

Greg Smith disse...

DK,

Se existisse um indicador "Warren Buffet" de investimento (de 1 a 10), acredito que Eike seria 3 e Jorge Paulo seria 7.

A questão é: qual seria o número de André Esteves? O quanto Eike (e outros negócios) podem estar revelando de problemas de diligência na estrutura do banco desse senhor? Teremos mais novidades no círculo bilionário brasileiro?

Enquanto isso a Btow do Sr. Lemann...
http://www.valor.com.br/empresas/3185088/acao-da-b2w-sobe-2785-em-meio-rumores-de-venda

Greg Smith disse...

Complementando...

Isso tudo sempre me lembra da famosa frase eternizada pelo caso da ENRON:

Aks why, asshole.

http://www.youtube.com/watch?v=dQ10kRJY1VY

A cadeia de eventos para se criar uma bolha depende de vários peões (e Reis/Rainhas) coordenados em um só intuito: vender algo por um preço independente de seu valor.

A tragédia humana se repetirá eternamente...

Greg Smith disse...

Complementando...

Isso me lembra uma época não muita antiga onde se via na AE:

"Suspeita de possibilidade de chance de indícios de hidrocarbonetos na região PTXO..."

E lá iam mais 5% de alta dos abaca-X...

Greg Smith disse...

InSonia...

EBX é o Lehman brasileiro????

O governo não vai ajudar e jájá os outros podres do mercado aparecerão pedindo água.

http://g1.globo.com/economia/negocios/noticia/2013/07/lobao-diz-que-governo-nao-estuda-ajuda-grupo-de-eike-batista.html

Risco sistêmico, a gente se vê por aqui...