segunda-feira, 29 de julho de 2013

Os IDHs do Brasil

Ontem saiu, depois de muita espera, o Atlas do Desenvolvimento Humano no Brasil, trabalho conjunto colossal da PNUD, Fundação João Pinheiro e IPEA. Os dados mais recentes são baseados no censo de 2010 e abertos para 5.565 municípios, devem ser fonte riquíssima para pesquisadores e a turma de visualização de dados (o Estado já montou alguns mapas bacanas: 1, 2, 3, 4). A este humilde diletante, com poucos recursos e pouco tempo livre, coube montar a tabelinha abaixo, comparando os IDHs dos estados brasileiros com o de alguns países (dados também de 2010). O Brasil é algo entre Botswana e Eslovênia, muito diverso e desigual, como era de se imaginar (entre os municípios, vamos de Uganda - comparável a Melgaço-PA, último do ranking a Espanha - comparável a São Caetano do Sul-SP, na outra ponta):


5 comentários:

Anônimo disse...

São Paulo maior que Santa Catarina? Acredito que a renda tenha um peso muito grande no que denominam "desenvolvimento humano". Eu nunca trocaria SC por SP nem com um salário 3 vezes maior.
Comentários bobos à parte, vou ler o documento, valeu Drunk!

Anônimo disse...

Dk,

Pergunta de quem não se informou: a renda é medida em dólares? Ou seja, a eventual desvalorização do real afeta a medida?

Abração para todos

Jorge Browne disse...

"Eu nunca trocaria SC por SP nem com um salário 3 vezes maior."

Somos dois, embora as prais de SP nada fiquem a dever...

Iris disse...

Muito muito bom!

Arthur disse...

Não sei quão compativel a metodologia do IDHM é com a do IDH. Talvez seja essa a origem do problema do qual você reclamou no twitter, do mapa de 1991 ser quase todo de IDH baixo quando o IDH brasileiro sempre foi médio.