sexta-feira, 28 de junho de 2013

Brasil, rumo a uma recessão?

É o que acha a BCA Research. Alguns dados compilados por eles:





30 comentários:

Anônimo disse...

Quais as chances de já estarmos no fundo, e a partir de agora ocorra uma recuperação desses indicadores? Ainda que o gráfico 1 esteja indicando que "f#deu!!!".

Anônimo disse...

A economia e a política caminhando provavelmente para momentos decisivos e turbulentos. A Dilma terá que se mover!
Maradona

Anônimo disse...

A taxa de crescimento do emprego teria que estabilizar em um momento. Gráfico mais que dispensável esse.

Por outro lado, é justamente aí que mora o risco.
O segredo agora vai ser manter este baixo desemprego sem usar de medidas anti-cíclicas, uma vez que acabou a grana.

Sem investimento privado, não tem muito o que ser feito para evitar este cenário.

Apertem os cintos e comprem dólares.

Abraços e bom final de semana.

paulo araujo disse...

Maradona

"A Dilma terá que se mover!"

Eu diria que o governo Dilma tem de mover os instrumentos da economia que possam de algum modo, se não reverter, ao menos atenuar os efeitos que essas projeções anunciam. E isso deve ser feito no tempo certo, no tempo oportuno. Se deixar passar, se protelar, aí o leite vai derramar.

Dilma precisa urgentemente ser chamada à responsabilidade pelo resta de racionalidade ou mesmo bom senso no governo dela.

Mas o que se vê é uma barata tonta que parece acreditar que a marquetagem do João Santana é a solução oportuna.

Sem dúvida, decisões efetivas precisam ser tomadas. A questão é saber se o governo é competente para isso.

A questão é saber o que mover e para onde.

Vocês são economistas de ofício e, portanto, podem falar desta matéria com propriedade. Eu somente me pronuncio como cidadão e observador porque não sei operar os instrumentos de análise econômica. Então, eu só posso falar de sensações. E o que posso dizer é a minha sensação de insegurança econômica aumentou.

Leram o que disse Marcelo Neri? Ele tenta convencer que as manifestações nada tem a a ver com os "mais pobres" e "suspeita que não é a mulher negra da periferia (que está nas manifestações)".

Ou seja, os pobres estão felizes e nem um pouco preocupados com inflação, transporte, saúde, educação. Pobre gosta mesmo é de geladeira, televisão e poder comprar tudo isso com carnê da Casas Bahia.

Eu estou de saco cheio dessa arrogância aristocrática que vai ao cúmulo de explicar os protestos como medida de sucesso do grande bem que obra deles, de quem "fez demais e não de menos".

Neri nessa infeliz análise, Neri agiu como porta-voz da a Casa Grande à gauche, dizendo que a Senzala nunca está satisfeita e que sempre quer mais.

Leonardo disse...

Drunk, muito interessante os gráficos, você teria o relatório completo?
Uma dúvida, o que significa Cross Border M&A Deals?
Obrigado.

Drunkeynesian disse...

Compras ou fusões de empresas brasileiras por empresas estrangeiras.
Tenho, qual seu e-mail?

Anônimo disse...

Drunk, tem o relatório completo?

se puder enviar agradeço(brunobarreto5@gmail.com)

rodrigo disse...

Eis o resultado do esforço do PT para afundar um dos países com maiores recursos (de todos os tipos, menos humano, senão não estariam no poder), de todo planeta! Temos de reconhecer o feito.

Leonardo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Leonardo disse...

leomendescorrea@hotmail.com se puder enviar, agradeço.

Parece cada vez mais que o setor produtivo privado brasileiro está medíocre e hoje vive às custas de recursos transferidos pelo tesouro ou via fiscal. Não aproveitamos o "boom" para melhorar estruturas econômicas e apenas realizamos melhorias conjunturais. Sem contar o efeito China que agora não é mais o mesmo, devido as estratégias econômicas deles. Ta chegando a conta disso tudo via conta corrente, balança de pagamentos, câmbio, juros, dívida bruta... Ao mesmo tempo que é ruim e insustentável essa relação de apadrinhamento do governo ao capital privado brasileiro, o empresariado não tem outra solução pra investir na produção devido a todos velhos problemas conhecidos, infraestrutura, carga tributária complexa, burocraria, falta de setor privado que financie em longo prazo e que possa fazer funding... nos resta esperar sentados agora um novo ciclo externo que nos favoreça. O momento de muito recurso e de possíveis mudanças estruturais me parece que passou e pouco mudou.

Anônimo disse...

Muito bom o relatório. Se não incomodar muito eu também gostaria de receber o relatório completo. Mesmo porque daria pra checar a aderência dele daqui há uns meses.
Obrigado
fentibr@yahoo.com

Anônimo disse...

drunk talvez seja mais fácil colocar em algum servidor se puder

abs

Fat Tony disse...

Todos que acham que a Selic vai para dois dígitos deveriam ver esse gráficos. BC independente for the win

Anônimo disse...

"Todos que acham que a Selic vai para dois dígitos deveriam ver esse gráficos"
Concordo, mas o BC está sem margem de manobra para conter a fraqueza da economia que poderá vir. E o BC é o responsável, pelo que fez desde no segundo semestre de 2012 e pelo não fez no início deste ano. Agora se BC for fraco vai ter o circulo vicioso inflação-câmbio, se for firme vai piorar o quadro econômico.
Dantas

Jorge Browne disse...

Tirando a adjetivação concordo com o Dantas em relação ao BC:

inflação-câmbio x piora quadro econômico x manifestações por mais gastos do governo x eleições ano que vem

Equação difícil.

Anônimo disse...

Gráfico 1: interessante
Gráfico 2: preocupante
Gráfico 3: baixo crescimento

Dionísio disse...

O governo agora precisa gastar mais e poupar mais ao mesmo tempo. Mas ganhou um novo potencial pilar de sustentacao e pressao nas ruas. Esse talvez seja o novo caminho de resistencia. Existe alguma iniciativa, lei ou reforma que poderia diminuir o poder de mercado de alguns grupos (onibus?), diminuir gargalos, aumentar a produtividade, melhorar o mix tributario, etc que voces acham que nao era uma opcao antes e pode ter se tornado agora? Tenho principalmente melhorar nos sistemas de onibus e descartelizacao ate certo ponto. Podemos estender a outros setores ou possibilidades?

Luiz Felipe disse...

Muito interessante o estudo. Gostaria, se possível, de receber o relatório completo. Meu e-mail é luizfbr@gmail.com

Um abraço.

Anônimo disse...

Voces acham que isso significa que o BC não vai precisar subir os juros?
Entendo que é o inverso,crescimento fraco e volta ao ambiente pré bolha das commodities...

Drunk, como todos também iria pedir o report mas acho que será demais... vc pode colocar no Google Docs ou algo do tipo?

Delfim Bisnetto disse...

O clima tá tão pesado que nem rolou som de sexta... :(

Nilton disse...

Drunk, parabéns pelo blog...venho sempre aqui buscar conhecimento e boas idéias.
Você pode me enviar o relatório?

Abs Nilton (nmcord@uol.com.br)

Anônimo disse...

Olha, antes poder-se-ia imaginar que a conta seria colocada em cima do balcão só em 2015, comm a reeleição. Agora, coam a forte queda de popularidade, essa possibilidade praticamente tende a zero. Ou seja, a conta terá de ser apresentada antes.
Os dados que geraram os gráficos preocupam.
Seria melhor uma "paulada" agora e perder as eleições, do que deixar rolar e perder o País.
Belo trabalho Drunk.

Anônimo disse...

A palavra hecatombe seria muito forte?
Imaginando o que poderá ocorrer no plano insitucional com um Chefe do Executivo fraco, parece que hecatombe é pouco.

Anônimo disse...

É interessante como as leituras são diferentes - não digo dos gráficos, mas do momento político. Eu penso que a Dilma retomou a iniciativa com a ideia da reforma política. Ou seja: na minha humilíssima opinião, temos executivo.

Anônimo disse...

" Eu penso que a Dilma retomou a iniciativa com a ideia da reforma política. Ou seja: na minha humilíssima opinião, temos executivo."
Na minha opinião ainda mais frágil, a presidente tenta assumir alguma agenda para tentar liderar alguma coisa sim. Afinal ela não poderia ficar muda. Mas o tema reforma política, sempre na manga das propostas petistas, está longe de responder às questões das ruas. Tampouco endereça a economia que caminha para tempos mais dificeis. Sobra o populismo crescente do executivo em todas esferas, todos tentando salvar a própria pele. A agenda real ainda vamos ver.
Dantas

Anônimo disse...

Drunk,
não sei se você verificou, mas os dados da séries "Cross border MA deals parecem ser da função MA da Bloomberg. Pelo que entendi é a atividade total de M&A(não só cross border).
Se puder mandar o relatorio todo também agradeço:
ab338368@gmail.com
abs

Drunkeynesian disse...

Pra facilitar: https://docs.google.com/file/d/0B8yOsNFcxSV5ZEJwUFM0TjF5cjQ/edit?usp=sharing

Anônimo disse...

Será que não é pessimismo demais? Essa porrada de desonerações não carrega pelo menos um PIBinho? Acho que pibinhos nesse ritmo teremos muitos, mas recessao se pans demaiss

Anônimo disse...

Na mesma linha...

http://deseconomiabrasileira.blogspot.com.br/2013/07/o-sonho-brasileiro-acabou-por-que.html

Pedro Din disse...

They were right