quinta-feira, 9 de agosto de 2012

Passeando pelo mundo das ações

O Merrill Lynch publicou há alguns dias um relatório inspiradamente intitulado The Equity Hitchhiker’s Guide to the Global Galaxy. Para quem olha os mercados a uma certa altura, é uma grande fonte de ideais e dados interessantes. Aí vão alguns que me chamaram a atenção:

- O valor das ações negociadas no mundo é US$ 27 trilhões. O PIB global é US$ 70 trilhões, mercado de dívida US$ 43 trilhões, total de reservas internacionais US$ 10,4 trilhões.

- O setor de tecnologia do mercado dos EUA é maior do que todo o mercado de ações da zona do euro.

- Ações de empresas financeiras (bancos, seguradoras, etc) ainda são a maior fatia do mercado global, quase 20% do total.

- Setor financeiro brasileiro vale tanto quanto o da Alemanha ou da França.

- Ações dos setores de saúde e consumo básico estão, globalmente, bastante perto de suas máximas históricas. Entre os países, México e Malásia são os mais próximos dos melhores dias.

- Setor de saúde como proporção do mercado é ridiculamente pequeno no Brasil - 0,9%, contra 9,6% no mundo.

- Em termos de múltiplo preço / lucro esperado, México é o mercado mais caro do mundo.

- O rendimento de dividendos no Brasil está entre os maiores do mundo, 4,8% nos últimos 12 meses.

- Como eu tinha mostrado, o retorno sobre o capital dos bancos brasileiros não é absurdo ou astronômico: 15,5%, pouco maior que a média do setor nos emergentes (14,4%). Os maiores retornos do setor estão na Indonésia (ah, Armínio Fraga...), na Rússia e no Chile.

- Para entender a atual onda de "largue o Brasil, compre México", olhe o crescimento dos lucros esperado para este ano - deve ser de quase 40% no México; no Brasil, cairão 6,4% - e junte a velha mania de extrapolação que permeia as atividades de analistas e economistas.

- Esse gráfico:


21 comentários:

Anônimo disse...

assustador esse grafico...porem algo me diz que australia nao pode valer mais que a zona do euro inteira. posso errar no timing mas acho que um buy EZ sell aussie nao seria nada mal

Drunkeynesian disse...

Eu conheço menos o mercado da Austrália, mas não arriscaria esse trade por achar que tem uma chance não desprezível do patrimônio dos bancos na Europa valer algo próximo de zero. Preferiria só vender Austrália do que ter uma ponta comprada na Europa.

Rodrigo, o Soneca, Pontes disse...

O que quer dizer o "Ah, Arminio Fraga.." depois da Indonesia??

Drunkeynesian disse...

Consta que, quando ele trabalhava para o Soros, ele foi o responsável por um investimento nos bancos de lá que perdeu um dinheiro enorme.

Anônimo disse...

Muito bom Drunk, muito mesmo. Matérias assim que me fazem ler o blog diariamente. Pode explicar melhor o conceito desse último grafico?

Anônimo disse...

Se ações valem 27 tri
Dívida 43 tri
Reservas 10 tri

e PIB é 70 tri...

Não ta faltando 10 trilhões ai?

Como se explica?

Davila disse...

estoque <> fluxo

Drunkeynesian disse...

O último gráfico é o valor de mercado dos bancos australianos (linha vermelha) e o valor de mercado dos bancos de toda zona do euro (azul). O que chama a atenção é os bancos da Austrália valerem mais ou menos a mesma coisa de que todos os somados dos países do euro.

Sim, estoque é diferente de fluxo, mas a relação entre ativos financeiros e PIB é longe de ser clara, e a soma não faz nenhum sentido.

Anônimo disse...

Obrigado Drunk, entendi melhor agora. Muito interessante mesmo, e concordo quando dizes que seria melhor vender Austrália a compra Europa haha. Lí sua entrevista para o blog Gringa, voce trabalha/trabalhava em um Banco Europeu na Europa ou aqui?

Drunkeynesian disse...

Aqui, mesmo.

Anônimo disse...

o titulo do relatorio também é muito bom !!!

pra mim o maior absurdo é o setor de tec valer o mesmo que todas as ações da zona do Euro

Anônimo disse...

O link do relatório acho que está quebrado, parabens pelo post!

Drunkeynesian disse...

Opa, arrumado. Parabéns pra quem fez o relatório, eu só traduzi...

Anônimo disse...

Aqui ainda está ruim o link

Drunkeynesian disse...

Testei e funcionou... é esse o link:

https://docs.google.com/open?id=0B8yOsNFcxSV5MVJmR0pGSzlNc1U

Anônimo disse...

Lembro quando pré-Lehman um cara de mercado, muito bom por sinal, me falava que os valores de mercado dos bancos americanos estariam muito depreciados, que só quem nunca entrou num bancão gringo poderia achar que estaria certo. O cara só lembrou do ativo e esqueceu do ativo menos passivo... O que dá para concluir do Mkt cap dos financial na EZ é que provavelmente será necessária uma grande capitalização logo após virar zero.
Fernando A.

Drunkeynesian disse...

Fernando, concordo contigo, basta olhar o caso dos bancos japoneses. O capital foi diluído inúmeras vezes, vale hoje 7% do que valia no topo da bolha. O balanço desses bancos é tão grande que vai levar décadas para conseguirem limpar (o Japão está fazendo isso há 23 anos e ainda não terminou).

Anônimo disse...

Consta que, quando ele trabalhava para o Soros, ele foi o responsável por um investimento nos bancos de lá que perdeu um dinheiro enorme.

em " more money than God" um (bom) livro recente sobre hedge Funds o autor passa a ideia de que quem de fato teve a ideia de investimento na Indonesia foi de fato o proprio Soros. anyway, nada importante para a discussao do post. soh relatando

Anônimo disse...

com relacao ao trade que falei no primeiro comentario, concordo com a preocupacao com a perna long EZ. Aproveito p lembrar tambem a possivel existencia de uma sobrevalorizacao (nao vou usar a palavra bolha) no mercado imobiliario australiano. Mas sei muito o impacto que poderia ter no balanço dos bancos por la.

Anônimo disse...

"quis dizer nao sei muito o impacto..."

Drunkeynesian disse...

Eu li o "More Money Than God", mas lembrei desse episódio de uma biografia do Soros. Amanhã confiro nas fontes.