quarta-feira, 28 de novembro de 2012

Lei de Benford

Ontem o amigo T. Maia contou que, em um curso de "computational investing" no Coursera, o professor usou uma pesquisa simples entre os alunos (perguntando o primeiro dígito da quantidade de dinheiro que cada um tinha na carteira e o primeiro dígito do número da respectiva casa) para exemplificar a Lei de Benford, da qual nunca tinha ouvido falar e que achei muitíssimo interessante, mais uma sistematização da observação de fractais no mundo. Aqui o Tim Harford fala de uma aplicação da lei para produzir evidências de que o governo da Grécia forjava os números enviados para a agência de estatísticas europeia. Infelizmente dá para imaginar, por variação de outra lei (a de Goodhart) que fraudadores mais sofisticados vão adaptar os dados de forma que pareçam realistas por aquele critério.

P.S. A Lei de Benford é exemplo de outra lei que conheci ontem, a de Stigler.

6 comentários:

Danilo Balu disse...

Este texto aqui tb fala sobre como o comportamento esperado de números pode indicar se tem dedo humano no meio...

http://www.washingtonpost.com/wp-dyn/content/article/2009/06/20/AR2009062000004.html

Anônimo disse...

Dk, o efeito desta lei de Benford tem implicações muito sérias na geração de números aleatórios...os quais nem sempre são tão aleatórios...

Drunkeynesian disse...

Aleatório não devia seguir nenhuma distribuição...

Falando nisso, aqui tem uma explicação legal sobre como gerar números aleatórios: http://www.random.org/randomness/

Anônimo disse...

Alguém aí sabe onde achar números dos votos do Maranhão?

Leonardo Monasterio disse...

Sobre números aleatórios, nada supera as criticas na amazon a este livro:
http://www.amazon.com/Million-Random-Digits-Normal-Deviates/dp/0833030477/ref=cm_cr_pr_product_top

Drunkeynesian disse...

hahahahahahaha, espetacular!!!

Sobre o produto: a gente esquece como era dura a vida do cientista antes dos computadores...