terça-feira, 13 de novembro de 2012

Gráfico do Dia - rentabilidade civilizada

De um ótimo relatório do J.P. Morgan sobre bancos na América Latina. Pelo menos quando comparados aos dos pares no continente, os retornos dos bancos brasileiros não podem ser qualificados como "astronômicos". Já tinha observado algo parecido aqui.


12 comentários:

Anônimo disse...

o ROE nesse caso desconsidera a inflação?

Drunkeynesian disse...

Creio que não.

Anônimo disse...

antes era maior, não ?? acho que uns 22% ...

muita gente fala que os bancos tem rentabilidade muito alta X a baixa alavancagem

Anônimo disse...

A visão é antiga e se arraigou com a inflação e perda de renda de certos seguimentos no Brasil. A FIESP e vários de capitães têm entrevistas falando nisso. Vais encontrar até em entrevista do Antonio Ermínio Morais.

Acho até que o auge que li e ouvi foi quando o Chico Lopes foi demitido pelos motivos conhecidos.

Hoje até acho que menor o ruído na sociedade, mas é uma visão empírica.

abs,

Marcelo

Thiago Romeu disse...

Na minha modesta opinião a questão dos spreads no Brasil é fruto de um sistema financeiro de estrutura ineficiente decorrente do longo período onde players conviveram sem abertura a concorrência externa. O ROE não seria uma boa medida porque os bancos brasileiros tem patrimônio em demasia. Essa cultura brasileira de um banco a cada esquina levou a uma corrida por inchamento na estrutura de agencias e funcionários que é atípica a qualquer lugar do mundo. O brasil possui um número muito menor de clientes por agência e por funcionário que os bancos mundo afora. Isso condiz com o dado em que no brasil apesar do ROE não ser dentre os maiores da A.L., é o maior na relação Lucro/PIB. Em resumo: lucro alto para sustentar estrutura concorrencial demasiadamente inchada. Faz sentido para você? Abraço

Drunkeynesian disse...

Eu acho que falta capital bancário no Brasil...

Anônimo disse...

Vcs estão falando de tipos diferentes de banco, não?

Anônimo disse...

Spread e' alto, enrgia e' alta, carro e' alto, ate' o Big Mac alto.

Pouco Falo disse...

Tem que ver o efeito cambial nesses indices. Peru e Chile estão com a moeda bem mais desvalorizada que a nossa. Dependendo da estrutura dos ativos isso distorce o ROE.

Muito estranho o Chile ter esses spreads...

B.C. drunk disse...

Aqui vale o argumento da arbitrariedade entre mercados e países?...Os mercados estão em busca de uma convergência de rentabilidades ou sempre haverá grandes disparidades (free lunch)? O equilíbrio "non ecziste"? Nem sempre realtive value dá resultados estatisticamente/economicamente esperados/explicados, ne c'est pas?

Anônimo disse...

Qual é o relatório? Não consegui ver no link. Agradeço a informação.

Drunkeynesian disse...

Este: https://docs.google.com/open?id=0B8yOsNFcxSV5bDI3VHp3Q1RIS2c