quarta-feira, 22 de junho de 2011

Leituras da véspera de feriado

- A taxa de juro natural e a Amazônia: a contribuição de Delfim Netto para a ótima série de conjuntura econômica que o Valor está fazendo.

- Uma série do UBS comparando as diferenças de crescimento entre China e Brasil e como isso afetou os retornos dos investimentos: partes 1 e 2.

- Para quem ainda aguenta ouvir falar da Grécia: a exposição dos bancos europeus à dívida (Guardian) e a comparação Grécia / Chipre com Argentina / Uruguai (FT).

- A Oaktree Capital deve fazer um IPO de US$ 100 milhões. Um perfil de Howard Marks.

- Um novo paper de Nassim Taleb, de novo sobre fragilidade e anti-fragilidade. O Universa, fundo do qual ele é sócio, pretende lançar um ETF para proteção contra cisnes negros (Forbes). Se virar moda, vai causar uma distorção no preço das opções fora do dinheiro, e, possivelmente, destruir a estratégia. Aguardemos.

- A história econômica recontada por listas (Boston Globe).

- Seguindo o Guardian, o New York Times também fez uma lista dos livros mais importantes de não-ficção.

- Woody Allen, Duke Ellington, Richard Feynman, Milton Friedman, Bertrand Russell, Quentin Tarantino e outros 229 ícones culturais em áudios e vídeos históricos (Open Culture).

- A série de história da música moderna que o Guardian preparou para o verão britânico.

21 comentários:

Leonardo Monasterio disse...

Po, vc nao quer que eu trabalhe! O penultimo link eh sacanagem!

Drunkeynesian disse...

Hahahahaha... dá pra pular os vídeos do Bono e perder apenas umas 40 horas.

Drunkeynesian disse...

E o mais desesperador é o "more to come" no finalzinho.

Danilo Balu disse...

Nassim Taleb sócio de algo que promete um seguro contra cisnes-negros?!? Estaria ele se vendendo?? rsrs

Drunkeynesian disse...

Hahahaha, ele tem o negócio desde antes de começar a fazer sucesso com os livros. Finance is for philistines, mas ajuda a pagar as contas...

Danilo Balu disse...

Que ele tinha o negócio eu sei, mas no livro ele vive falando que cisnes-negros são imprevisíveis...

Vi a lista do NYTimes, joguei Moneyball no wishlist, me surpreendi com alguns títulos listados, feliz com outros quie já li e dei risada como alguns outros deve ter te tirado do sério! hahahahaha

Drunkeynesian disse...

Sim, mas isso não descarta lucrar com eles... a teoria é que, imprevisíveis ou não, eles são mal precificados - como se fossem ainda menos infrequentes do que no mundo real.

Eu não sabia que a Joan Didion tinha tanta moral, eu li O ano do pensamento mágico e não achei nada muito especial, vou ter que dar outra chance. Fiquei feliz de ver algumas lembranças de quadrinhos, eu tenho visto muita coisa boa nesse meio (puristas, podem xingar).

Anônimo disse...

Como um trader, o Taleb é bom escritor... Mas isso a mídia não fala, né? E ele também não vai fazer má propaganda de si mesmo!

Drunkeynesian disse...

Eu ouvi de um amigo de um cara que já trabalho com ele que ele era um dos piores traders que ele já viu... ainda assim, supostamente ele fez muito dinheiro em 1987 e 2008. Será que foi iludido pelo acaso?

Anônimo disse...

Nem entro no mérito de Iludido pelo Acaso, acho que é mais Iludido pela Memória Curta.

Se você pegasse o P&L dele em 87 e 2008, será que supera todas as picas de comprar pó em todos os outros anos? Será que ele teria liquidez suficiente e paciência do investidor que "sangra" todo dia esperando o "Cisne Negro"?

Eu leio os livros do cara, acho muito bons. Ele escreve bem e tem o mérito de ter pesquisado "várias boas ideias" já existentes e fazer todo mundo prestar atenção nelas. Mas que ele adora a "máscara" que pintaram dele como "guru", "gênio do trade" e bla bla bla, ele adora. Humildade, é uma das "várias" qualidades dele, apesar dele fazer piada disso o tempo todo.

Danilo Balu disse...

Acho o Taleb tudo, menos humilde. Acho apenas que ele não se leva a sério como 98% de todo best-seller em Adm-Economia, mas como ganhar dinheiro é sempre bom, não precisamos fazer aquilo que pregamos.

Drunkeynesian disse...

Concordo, falta um pouco de humildade e, acho, alguma coerência - ele vive falando que finanças é algo menor, que deve ser desprezado, mas não consegue ficar longe do meio.

Quanto ao P&L... difícil saber. Em 87, como ele trabalhava em banco, deve ter levado algum $$$, independente do que perdeu no passado. O fundo em 2008 supostamente ganhou mais que 100%, o que deve pagar bastante tempo de prejuízo com os prêmios dos pós. A minha modesta opinião é que a estratégia só funciona com um mínimo de senso de timing, mas pode ser que de fato os caras tem um método muito bom de identificar o que é realmente barato e / ou distorcido no mercado.

Anônimo disse...

O fohda é você perder 20% num play de notional de US$ 1 bi e ganhar 100% num play de notional US$100 mi, né?

Tem que ver quantos clientes ficaram tomando pica durante 7 anos, sendo que em 2001, o ano do Maior Cisne Negro de todos, o fundo rodou negativo...

Drunkeynesian disse...

Claro, tem essa questão, também. E depois a velha discussão se é possível replicar em um fundo grande estratégias que funcionaram pra um fundo pequeno.

Danilo Balu disse...

agora vcs falam economês e Balu volta ao seu mundinho minúsculo e humilde da ignorância rsrsrsrs

Drunkeynesian disse...

Hahahaha... depois, se você lembrar, eu te explico com calma. Por enquanto, para referência, P&L = profits & losses.

Anônimo disse...

Boa, PJ.

Veja se faz um post sobre isso, seria legal. Eu ouço muita gente dizer que "comprar pó" é UMA PUTA estrategia, que o Taleb ganhou muito dinheiro com isso, mas como diria o próprio isso é uma "falácia elucidativa". Ninguém faz as contas exatas.

http://www.tavakolistructuredfinance.com/Mythical%20Swan.pdf

http://www.tavakolistructuredfinance.com/Stranded%20Swan%20June%203%202009.pdf

Abs

Anônimo disse...

E antes que alguem fale:

É óbvio que num mundo onde só exista duas estratégias: "comprar pó" e "vender pó", fico com a primeira.

Abs

Drunkeynesian disse...

Um dia eu faço, sim, é só ter paciência pra mastigar alguns números pra discussão não ficar 100% no achismo. Pro caso do Brasil deve ser bem fácil refutar a teoria de que a estratégia é sempre boa, o juro ridiculamente alto incha tanto o preço das opções que para fazer dinheiro comprando é preciso acertar muito bem o timing.

Anônimo disse...

"Se virar moda, vai causar uma distorção no preço das opções fora do dinheiro, e, possivelmente, destruir a estratégia."

a estratégia dele, vc diz?

é provável, mas por outro lado a galera do 1 pra 3...1 pra 5(!) vai vibrar. prêmio subindo, enquanto o resto se mantém constante, certamente vai elevar a oferta na venda do seguro.

Drunkeynesian disse...

Sim, dado que o princípio da estratégia é comprar opções baratas e que um novo comprador grande no mercado distorceria o preço. Mas isso parece longe de acontecer, ainda.