quinta-feira, 19 de dezembro de 2013

O Sr. Dinheiro e o negócio de entretenimento

Hoje (escrevo em 18 de Dezembro) fiquei sabendo da existência do Sr. Dinheiro, personagem criado, aparentemente, pelo "Fantástico" da TV Globo em cima de Luis Carlos Ewald. O Sr. Dinheiro ganha para ensinar finanças na FGV do Rio e prestar assessoria financeira. Hoje ele concedeu uma entrevista ao portal InfoMoney dizendo que há uma bolha imobiliária no Brasil que vai estourar "no primeiro semestre de 2014". A entrevista não fala como ele precisou tão bem o timing. Se tem um modelo para isso, é forte candidato ao Nobel nos próximos anos.

Assumindo que, de fato, haja uma bolha no mercado imobiliário brasileiro, o que garante que ela vai estourar nos próximos seis meses, ou seis anos? Nada. Se é fato consumado que toda bolha estoura (ver a pesquisa da GMO sobre o assunto, a mais completa que conheço), também é mais ou menos estabelecido que bolhas podem ser incrivelmente resilientes. As perdas amargadas por muitos grandes investidores que tentaram ir contra bolhas, de Julian Robertson a George Soros, passando pela própria GMO, parecem confirmar a frase (aparentemente apócrifa) atribuída a Keynes: o mercado pode permanecer irracional por mais tempo do que você pode permanecer solvente.

Ewald, porém, não deve ter problemas de solvência (ou pode ser mais esperto que Robertson, Soros, Jeremy Grantham ou o próprio Keynes). Ele e outros consultores financeiros não vivem de acertar ou errar: vivem de colocar o nome nas manchetes, fazendo previsões "ousadas" e "bombásticas". Em seis meses, se errar, ninguém mais vai se lembrar e ele pode continuar cobrando por aulas e consultoria; se acertar, vira guru. Baixíssimo risco, alto retorno potencial: esse é o melhor investimento que o Sr. Dinheiro poderia recomendar.

O problema aqui é como reputações no mercado financeiro são construídas e destruídas. O assunto merece um estudo mais cuidadoso, mas arrisco alguns palpites: é uma área que lida com variáveis complexas, com um componente brutal de incerteza, onde o sucesso é difícil de ser mensurado ao longo do tempo, e povoada por um nível monumental de ignorância. Isso gera um grande problema de seleção: como saber escolher um bom profissional se (i) o nível de conhecimento geral sobre o assunto é baixo e qualquer um que fala besteiras com convicção pode se passar por expert; (ii) mesmo os verdadeiros experts sofrem para entregar resultados (e estes são os que, sabendo da incerteza, cercam de cautela suas opiniões e frequentemente são vistos como "fracos" ou "pouco arrojados"); (iii) os resultados mais visíveis são os de poucos meses - para períodos mais curtos, o peso da incerteza é ainda maior, e anos de bom trabalho são facilmente esquecidos após um semestre de performance fraca. Aqui, de novo, o grande Keynes: "é melhor para a reputação falhar de forma convencional do que ter sucesso de forma não convencional".

Aqui, a analogia com o futebol e seus inúmeros comentaristas é quase perfeita: o assunto, complexo, é parte importante da vida de milhões; há um corpo de conhecimento sobre o assunto, dominado por poucos; o conhecimento implica reconhecer que grande parte do jogo é determinada por fatores que não podem ser explicados; quem reconhece isso não chama a atenção devida e quem ganham os holofotes são os que gritam mais alto, usam metáforas mais coloridas ou criam mais polêmicas. Tostão escreveu hoje, na Folha, que, caso o Atlético Mineiro passasse do Raja Casablanca, podia tanto ser goleado pelo Bayern ou ganhar a final do Mundial de Clubes. Isso pode parecer óbvio, mas embute grande dose de humildade, conhecimento e sabedoria. Coloquem ele em um canal da TV dizendo isso e no outro o Craque Neto dizendo que o Galo é favorito, que esses times da Europa não são tudo isso, etc, e vejamos quem atrai mais audiência. Em resumo, ambos os negócios remuneram mais entretenimento e menos conhecimento. Ao menos no futebol raramente se coloca em risco o dinheiro da aposentadoria.

O post já está longo demais e ainda nem cheguei ao que mais me deixou doente na entrevista do professor. Cito:

Ainda segundo o Sr. Dinheiro, quando o mercado imobiliário desaba, a bolsa de valores (e o mercado acionário como um todo) melhora muito. “Essa bolha que vai estourar no ano que vem vai criar uma ótima oportunidade para os investidores do mercado de renda variável, afinal, o desempenho de ambos são inversamente proporcionais”, finalizou.

Entre 2007 e 2008, o preço de imóveis nos EUA, medido por um índice criado pelo professor de Yale que ganhou o Nobel este ano e o Sr. Dinheiro orgulhosamente citou como referência para suas previsões, caiu pouco mais de 25%. As açoes americanas, medidas pelo S&P 500, perderam mais de um terço do seu valor. O mesmo aconteceu em inúmeros outros países onde o mercado imobiliário colapsou. A crise que se arrasta até hoje é das maiores da história do capitalismo, mas não é evidência suficiente para o Sr. Dinheiro, que prefere sacar uma teoria estapafúrdia para empurrar incautos para o mercado de ações.

Uma das frases que Nassim Taleb gosta de repetir (acho que está no Antifragile, se bobear é emprestada de algum grego): se você vê uma fraude e não grita "fraude", você é uma fraude. O Sr. Dinheiro é uma fraude. Espero ter coragem e isenção para apontar outras ao longo da vida.

22 comentários:

Marcio disse...

Concordo! Virou modo cantar a bolha imobiliária e o cara é um irresponsável.

Anônimo disse...

Ainda mais em um site com a visibilidade do Infomoney, um inconsequente fala uma asneira dessas e afeta, mesmo não querendo, a vida de vários!

Panfleconomics disse...

A verdade é que faltam bons programas de economia na televisão… educação já é uma lástima no Brasil, imagine educação econômica.

Anônimo disse...

Então eu sou obrigado a dizer também:

Keynes é uma fraude. Todos os seus seguidores também são uma fraude.

Gustavo Noronha disse...

Fiquei pensando se ele não quis dizer que as ações cairão e que comprar nesse período de baixa pode ser uma grande oportunidade, porque a tendência após um certo período seria regressão para os níveis anteriores, que acha dessa hipótese?

Disclaimer: não vi a entrevista, não tenho contexto

Thuin disse...

Tem gente que canta o estouro da bolha imobiliária brasileira "no próximo semestre" desde o estouro da americana. No dia em que (se) estourar, vão chilrear que previram certo, e torcer pra que se ignore as 10, 20 previsões erradas. E funciona.

Isabela Carvalho Santos disse...

Vai ver a ideia é levar o pessoal para ações e os ver perdendo dinheiro, sabe-se lá... mta irresponsabilidade, mas nada fora do padrão brasileiro. Obrigada pelo post!!

Edison Villela disse...

O que poderia nos levar a pensar que o Brasil está vivendo uma bolha imobiliária?
O Brasil tem um gigantesco déficit social/econômico real, milhões de pessoas vivem em favelas e habitações sub-humanas.
Com a pequena melhora que as classes mais baixas tiveram estão mudando para melhores condições de vida. O que há de bolha nisso?
Para mim é um crescimento real.
O sistema imobiliário/financeiro/habitacional estadunidense é muito diferente do brasileiro e não vejo motivo para traçar comparações simplistas.
No Brasil: não há hipoteca, o proprietário não pode conseguir um empréstimo hipotecando a casa e muito menos múltiplas hipotecas para um mesmo imóvel...
É interessante entender o que aconteceu nos EUA para entender o que se fala do Brasil...
Algumas fontes:
http://en.wikipedia.org/wiki/Causes_of_the_United_States_housing_bubble
http://www.planetizen.com/node/41867

Anônimo disse...

esse cara não ganha tanto dinheiro assim não....

Wolv disse...

Fala Sobral, a um tempo acompanho seu blog, e não poderia deixar de comentar esta... Bom, sabemos do que o SR. Dinheiro vive, e para que servem seus comentários. Bom abaixo posto dois links que mostram como a opinião deste DR. muda conforme quem o paga.

Em 2012 falando sobre bolha imobiliária.
http://wp.clicrbs.com.br/estelabenetti/2012/06/25/conselhos-e-alerta-do-sr-dinheiro/

Em 2013 dando dicas para compra de um imóvel.

http://revistabemestar.wordpress.com/2013/06/13/em-santa-catarina-e-possivel-comprar-imoveis-com-acabamento-de-qualidade-e-precos-acessiveis/

Um abraço.
Wolv

Edinailton Silva Rodrigues disse...

Pilantra.

Anônimo disse...

Pilantragem é o que mais tem no Brasil. A começar pelo partido que administra o país há anos...

Anônimo disse...

Esse cara foi expulso do departamento de economia da PUC (dava aula na graduacao) pq acessou sem permissão a avaliaçao dos alunos sobre os professores...não tem nenhuma moral.

Anônimo disse...

A bolha imobiliária do Brasil ja estorou. Se vocês acham que não tem, comprem comprem comprem!!! Vai subir 30% ao ano!!!

Anônimo disse...

Tive aula com ele. Espero que a PUC tenha melhorado muito.
Maradona

"O" Anonimo disse...

Keynes foi o major Economista do século XX. Sua obra é impressionante.

Anônimo disse...

"A bolha imobiliária estoura em 3 meses"
Publicado em: 04/11/2010

http://www.clubedopairico.com.br/colunistas-a-bolha-imobiliaria-estoura-em-3-meses/6319


HAHAHAH

Anônimo disse...

Quando li essa reportagem do infomoney tive uma impressao muito parecida com a sua. Esse Sr.Dinheiro foi meu professor de mat. Financeira, como diria o Capitao nascimento, ele e um fanfarrao.. Abs

Anônimo disse...

pior que esse so o Sachsida que nao somente tem certeza que vai estourar como tambem recomenda alavancagem total agora porque ele acha que vai haver resgate aos devedores por parte do governo

Marcelo disse...

Confesso que o título da matéria no infomoney me chamou a atenção, mas quando li, fiquei procurando o resto do texto. Esperava encontrar a justificativa dele para o alerta dado, e não tinha nada. Ridículo!

José Antonio Meira da Rocha disse...

"Consultor de economia doméstica do “Fantástico”, da Rede Globo, Luís Carlos Ewald é réu na Justiça do Rio de Janeiro. Há 18 anos, ele não paga a prestação do apartamento onde mora, na Gávea. A Delfin Crédito Imobiliário conseguiu o leilão da unidade. Mas, “por má-fé e torpeza”, segundo consta na ação, Ewald permanece no imóvel."
http://www.istoe.com.br/colunas-e-blogs/coluna/paginar/134038_TORNEIRA+FECHADA/2

Anônimo disse...

Eu não sei quem é mais desinformado, o pessoal que faz os comentários o quem fez a matéria. Falar sobre deficit de imóveis!!!! Na Africa tem muita gente passando fome e nem por isto vão abrir restaurantes lá. De que adianta os imoveis em sp com preço de R$ 500.000 se a maior parte da população não tem como comprar. A conta é simples.