terça-feira, 7 de maio de 2013

Gráfico do Dia - a volta da dívida externa

Desse ótimo relatório do Credit Suisse, que revisita a situação da dívida externa no Brasil (clique para aumentar). Acho que, dada essa conjuntura, a grande questão é: a que taxa de câmbio o banco central começa a entregar reservas para o setor privado honrar os compromissos no exterior?




11 comentários:

Jorge Browne disse...

É essencialmente privada, me pergunto quantos fizeram hedge...

Drunkeynesian disse...

Essa é outra pergunta de milhões de dólares... Mas dá uma olhada no pdf, muito disso é intra-companhias.

Anônimo disse...

Dívida externa crescendo, déficit em transações correntes se elevando, inflação alta, acho que já vi esse filme...

disse...

Ué, Lulinha não tinha acabado com a dívida externa, companheiros?

Drunkeynesian disse...

Maior parte é privada, não pública. E dívida externa líquida (bruta - reservas) ainda é negativa.

Jorge Browne disse...

É mesmo DK! Como resultado, a dívida externa via empréstimos intercompanhias aumentou de US$ 27 bilhões (2,5% do PIB) em 2006 para US$ 136 bilhões (6,0% do PIB) em março de 2013

Mas ainda assim: "O aumento desses empréstimos nos últimos anos foi mais expressivo nas operações realizadas por filiais de matrizes brasileiras", ou seja, se o câmbio desvalorizar o pobrema é grande dotô...

paulo araujo disse...

Caros

Se puderem responder.

A forte expansão (bancos e empresas e incluído em ambos o setor público) foi destinada a investimento?

Se foi, como explicar a os números da produção industrial? Itaú e Credit Suisse previam para março 1,3% e O Bradesco 1,7%. Deu 0,7% em Março.

Essa expansão está financiando exatamente o quê?

Abs

Drunkeynesian disse...

Boa pergunta, não sei bem a resposta, precisaria olhar direito as aberturas.

Delfim Bisnetto disse...

Segundo o relatório, o grosso desse crescimento entre 2009-13 foi para os bancos, cujo endividamento cresceu mais de 120%...

Governo e BC estáveis, "outros setores" crescendo uns 60%.

O que, até onde entendo, só mantém o mistério.

Drunkeynesian disse...

Os bancos médios viviam disso, mas até onde sei quase sempre faziam o hedge e transformavam o custo em % CDI.

Anônimo disse...

a comparação internacional está malfeita para dedéu. Vários números errados...