segunda-feira, 22 de abril de 2013

A união monetária ideal para a Alemanha

Michael Cembalest, do J.P. Morgan, estimou (com base em 22 fatores de competitividade) quais seriam os países mais similares a Alemanha, que, em teoria, formariam uma união monetária melhor que a atual (clique para aumentar):


7 comentários:

Flávio Dias disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Delfim Bisnetto disse...

Sei, não, mas se está faltando trabalho lá no JP Morgan, tem louça de sexta aqui em casa pra lavar...

Anônimo disse...

De todo modo, pode ser que algum grande país da AL não se sinta muito confortável por estar no vermelho.
Mas, tudo passa...

Anônimo disse...

Drunk, nada a ver com o assunto, mas sabe a melhor forma de um investidor individual se beneficiar do bom momento do Nikkei e da depreciação do yen? Algum fundo ou algo parecido?

Márcio

Drunkeynesian disse...

Acho que o tal "bom momento" não vai durar muito... mas, enfim: se tiver conta lá fora, é muito fácil, tem vários ETFs. Aqui, se não me engano, tem contrato futuro de iene na BM&F, basta ter conta em uma corretora e a margem pra depositar.

askanio disse...

Boa noite, esses dados vermelhos deixam o PT feliz da vida.

Anônimo disse...

Se eu bem entendi, isso quer dizer que alguns países mundo afora, que possuem pouca ou quase nenhuma ligação econômica e cultural com a Alemanha poderiam ter melhor desempenho no bloco econômico como um todo a alguns dos muitos países que atualmente fazem parte da UE. Só não concordei com o seu título, acho que a de hoje é que é a real ideal união para eles, pois se beneficiaram e ainda se beneficiam muito das diferentes competitividades de indústrias e economias internas do bloco. Levando a grandes disparidades e ganhos por parte da Alemanha em relação aos seus países vizinhos...

Floripa Trader