quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

Coisas que acontecem após o Copom subir os juros

- A FIESP, a FIRJAN, a Força Sindical, a CNBB e a ASPET declaram que "a alta de juros é um absurdo, mais ainda em um país que já tem os maiores juros do mundo, vai constranger o investimento e causar demissões".

- Os exportadores reclamam que a alta de juros vai servir para valorizar ainda mais o câmbio.

- Os bancos sobem imediatamente todas as suas taxas e aproveitam para dar uma "puxadinha" no spread, já que 187% não são suficientes para garantir uma rentabilidade consistente.

- Os economistas e analistas de mercado analisam cada palavra do comunicado do Banco Central, como se aquilo tivesse sido escrito por Júpiter. Por que nunca ocorreu a um banco contratar um linguista de plantão?

- Os fundos de pensão comemoram a alta nos juros reais por terem mais um período de moleza para cumprirem suas metas.

- Os ortodoxos dizem, com palavras mais suaves, que a alta não será suficiente para segurar a inflação, que falta testosterona aos diretores do Banco Central e que, continuando assim, repetiremos o caos da República de Weimar.

- Os heterodoxos se declaram surpresos pelo Banco Central não ter considerado cortar os juros.

- Os traders alegam que o movimento na curva de juros era esperado e que estão colocando os lucros no bolso.

- A turma do Ministério da Fazenda comemora o novo material para poder cutucar o Banco Central.

- A Folha publica o estudo do mestre Jason Vieira que mostra que o Brasil já passou mais tempo na liderança do ranking de juros reais do que o Federer na classificação da ATP.

- Algum consultor de finanças pessoais diz que é vantajoso aplicar em fundos DI, já que a Selic está subindo.

- As emissoras de TV tiram do arquivo as imagens da Casa da Moeda imprimindo notas de 100 reais e as tomadas de todos os ângulos possíveis do prédio do Banco Central, em Brasília.

- O Mané da padaria, o Silvestre do açougue, o João da barraca de tomates na feira e o Giuseppe da cantina estudam a decisão do Copom, concluem que o país está entrando num ciclo de política monetária contracionista e de crédito mais escasso e reconsideram suas decisões de aumentar os preços. Ops... No mundo real não é assim que funciona?

- O mercado se prepara para acordar cedo na quinta-feira seguinte e exercitar seu masoquismo lendo "a ata".

- A vida segue praticamente igual para cerca 99.7% dos brasileiros, que tem coisas mais importantes pra se preocupar.

8 comentários:

Anônimo disse...

Fantástico o post, além de informativo e verossímil é engraçado. parabéns...

João Marcus disse...

Não é apenas "verossímil". É um dos raros exemplos em que a realidade é ao mesmo tempo comédia!

Leandro disse...

Muito bom!

ART PERCEPTIONS disse...

outstanding!

Danilo disse...

CLAP CLAP CLAP!

Salgado disse...

CLAP CLAP CLAP... pq vc não posta no FB tb ?

Drunkeynesian disse...

Eu ainda me preocupo com a suposta "anonimidade".

analiseenergia disse...

Stand up comedy de economia? rs