segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

Leituras das últimas semanas

Geografia é destino?
- Um perfil de Stanley Fischer, o mestre Yoda da macroeconomia aplicada.

- Uma explicação alternativa para a desaceleração do Brasil: um "sudden stop" auto-imposto.

- Dois bons textos do Mansueto Almeida sobre o "milagre" dos bancos públicos: aqui e aqui.

- Breve história dos controles de preços.

- James Montier, da GMO, sobre hiperinflações.

- Teoria dos jogos aplicada na sala de aula.

- Edmund Phelps sobre expectativas racionais.

- A relação entre o formato dos países e sua economia.

- As leis fundamentais da estupidez humana, pelo historiador econômico italiano Carlo M. Cipolla (dica Leo Monasterio)

- Os livros que influenciaram John Van Reenen, da LSE.

- Dilbert na aula de macroeconomia.

- Uma carta de Karl Marx para Abraham Lincoln.

- Estatística na União Soviética.

- Um mapa do domínio mundial da Anheuser-Busch InBev e SABMiller.

- Explorando uma base de dados de 10.000 atores pornô.

- Ótima lista (em construção) dos melhores filmes sobre política (dica Maurício Santoro).

- Velocidade Máxima na vida real.

15 comentários:

Anônimo disse...

muito legal esse porn database. Já a lista de filmes políticos é fraquíssima, cadê os italianos, cadê os filmes do Costa Gavras, para ficar apenas em alguns óbvios.

Drunkeynesian disse...

Eu dei uma passada e tem alguns do Costa-Gavras (Z, Estado de Sítio...), mas talvez faltem alguns.
Em quais italianos está pensando?

JGould disse...

Obrigado por partilhar o "report" da Nomura. Que tal enviar ao Elfo? Deixa pra-lá, não ia adiantar mesmo!

Abs

Anônimo disse...

O Dilbert é genial

Anônimo disse...

A lista tem Dave - Presidente por um dia, mas não tem alguns italianos básicos, como A Classe Operária Vai ao Paraíso, Sacco e Vanzetti ou Investigação sobre um Cidadão Acima de Qualquer Suspeita.
E, a menos que tenha me enganado, não tem Encouraçado Potemkin!

Anônimo disse...

Tropa de Elite 2 e O Gladiador

Victor Pacheco disse...

Estou lendo Linhas de Falha do Raghuram Rajan, de longe o melhor livro que explica profundamente as causas da crise financeira de 2008.
Recomendo também The Rational Optmist do Matt Ridley que faz um percurdo memoravel pela história do comércio e da inovação.
E por último um fresquíssimo que promete arrebentar nas vendas que combate a visão enviesada que temos dos bancos e sua suposta santidade intocável (to big to fail é uma ova). Chama-se The Bnaker's new clothes da Anat Admati. Boa Leitura !!!

Drunkeynesian disse...

Você não é o primeiro que fala bem desse livro do Rajan, preciso conferir.
Esse livro do Matt Ridley foi destroçado pelo texto do Lara Resende sobre otimismo, você leu (não lembro se postei aqui)?

Victor Pacheco disse...

Eu li sim e foi exatamente depois do paper do Lara Resende que eu fui conferir o livro, veja um trecho dele:
"...There are people today who think life was better in the past. They argue that there was not only a simplicity, tranquility, sociability and spirituarity about life in the distant past that has been lost, but a virtue too. This rose-tinted nostalgia, please note, is generally confined to the wealthy. It is easier to wax elegiac for the life of a peasant when you do not have to use a long-drop toilet.
Imagine that it is 1800, somewhere in Western Europe or eastern North America. The family is gathering around the hearth in the simple timer-framed house. Father reads aloud from the Bible while mother prepare to dish out a stew of beef and onions. The baby boy is being comforted by one of his sister and the eldest lad is pouring water from a pitcher into earthenware mugs on the table. His elder sister is feeding the horse in the stable. Outside there is no noise of traffic, there are no drug dealers and neither dioxins nor radioactive fall-out have been found in the cow's milk. All is tranquil; a bird sings outside the window.
Oh please ! Though this is one the better-off families in the village, father's Scripture reading is interrupted by a bronchitic cough that presages the pneumonia that will kill him at 53 - not helped by the wood smoke of the fire. (He is lucky: life expectanct even in England was less than 40 in 1800) The baby will die of the smallpox that is now causing him to cry; his sister will soon be the chattel of a drunk husband. The water the son is pouring tastes of the cows that drink from brook. Toothache girl pregnant in the hayshed even now and her child will be sent to an orphanage. The stew is grey and gristly yet meat is a rare cgnage from gruel; there is no fruit or salad at this season. It is eaten with a wooden spoon from a wooden bowl. Candles cost too much, so firelight is all there is too see by. Nobody in the family has ever seen a play, painted a picture or heard a piano. School is a few years of dull Latin taught by a bigoted martinet at the vicarage. Father visited the city once, but travel cost him a week's wages and the others have never travelled more tha fifteen miles from home. Each daughter owns two wool dresses, two linen shirts and one pair of shoes. Father's jacket cost him a month's wages but is now infested with lice. As for the bird outside the window, tomorrow it will be trapped and eaten by the boy "

Veja as estatísticas históricas do Angus Maddison, para PIB per capita por exemplo. Eu fico com o otimismo do Matt à critica do Lara.

Drunkeynesian disse...

Ah, disso não há dúvida. A questão é se é possível extrapolar esse otimismo pro futuro. Eu vejo mérito em ser otimista racional, é tão mais fácil prever desastre...

Victor Pacheco disse...

Vc leu o livro Tyler Cowen, The Great Stagnation ? de certa forma também é uma crítica ao otimismo racional, mas muito mais convincente do que a do Lara Resende.
Recomendo a leitura.

Drunkeynesian disse...

Li, sim. Na mesma linha, esse paper também é interessante: http://www.nber.org/papers/w18315

Victor Pacheco disse...

Muito bom este paper que vc recomendou do Robert Gordon. Realmente é dificil acontecer algo semelheante à 2ª revolução industrial (carro, avião, eletricidade, água corrente, telefone, etc,...) . No texto algumas informações são curiosíssimas (pensar que a mulher em 1885 carregava 35 ton de água e caminhava 237Km por ano é muito doido e saber que o avião nos dias de hoje voa a uma velocidade menor do que os de 1958 para conservar combustível também é demais).

Para você que esta cursando História deve ter sido interessante esta leitura, né ?

Drunkeynesian disse...

Eu tranquei o curso de história... acho que preciso atualizar isso no "sobre".

Victor Pacheco disse...

Drunk, dá uma olhada no post MINISTRO DA PESCA QUER CRIAR PESCOBRÁS do meu blog : PANFLETO-ECONÔMICO.BLOGSPOT.COM quando tiver um tempo.
Espero que goste.

abs.